Páginas

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Cancelar Define

Resolvi tratar de um assunto bem chato que é o chamado CANCELAMENTO de séries. Nos EUA isso é comum, aqui é raro. Porque é difícil uma série ser realmente boa e poder ser chamada de série. Sim, sem hipocrisia. Tapas e Beijos é uma que no momento é a única coisa realmente boa, e com certeza não será cancelada. Eu amo a Fernanda Young, sempre deixei isso claro. Tenho quase todos os livros e acompanho TUDO absolutamente tudo sobre ela, tanto que até a playboy dela eu tenho, e AMO. Só que MACHO MAN não me agrada. sérião. Não me agrada mesmo. Acho o tema escroto, idiota. E o Jorge Fernando não me agrada também, deveria ser um ator mais (como eu posso dizer) HOT. Sei lá, não quero bancar um estereotipo mas é sério. Não gosto dele e não vi nenhum episódio inteiro. Ah claro, só o que a Young participou. Enfim, o forte do Brasil não é séries.

Algumas que foram boas: Os Normais, Na Forma Da Lei, A Vida Alheia, A Lei e o Crime, Toma Lá Dá Cá, Os Aspones (Essa que eu acho que nunca devia ter acabado), Sob Nova Direção, e sem dúvida uma bem anos 90 que foi Confissões de Adolescente.


Mas o foco aqui é outro, quero falar sobre as americanas. As que principalmente me deixaram profundamente indignado. Muitas porque não tiveram um final digno e também pelo simples fato de deixar coisas em aberto.



Vou começar por CASHMERE MAFIA: O que me indignou nessa série foi o foco total ser na personagem da Lucy Liu. Porque? Because, a série começa em torno dela e terminou em torno dela. Ela começou sendo pedida em casamento e terminou na companhia de um cachorro no qual era apegado ao sapato dela e não a ela. sério mesmo? cêmijura? juro e não só juro como fiquei puto. Acho que deviam ter explorado o mundo delas um pouco mais. Mulheres ricas, bem sucedidas e claro, com seus podrezinhos irritantes. Os autores quiseram fazer uma espécie de Sex And The City a la Desperate Housewives e obviamente não colou. Mas poderia ter tido outras histórias e eu torcia por uma temporada completa. O que broxou também foi ter tido apenas 7 episódios. SAQUINHO mesmo. Enfim. Next.



THE GATES: Porra, que merda foi aquele final de The Gates ein? Não entendi a ironia em ter tido somente 13 episódios mas que merda foi aquele final? Eu particularmente amava a bruxa Devon. Além de linda, ela era perigosa, demoníaca. E do lado do bem sem sombra de dúvida a linda da Claire, Rhona Mitra diva. Enfim não curti o final porque ficou em aberto. Porra tivessem matado aquele chato do Travis. Não ia fazer falta mesmo. Aqueles lobos também nada a ver. Não curti no facebook. Enfim. Next.



THE PLAYBOY CLUB: Essa é novinha, produção de 2011 que não foi pra frente :( CARALHO ein NBC, nada aí vai pra frente. Medium foi cancelada no seu auge, e agora no terceiro episódio vocês acabam com mais uma? Geit, sério. É boa. Assistam os 3 episódios, eu recomendo mesmo. Não sei se é porque me apaixonei de cara pela Maureen (claro que é) ou pelo Dalton mas nossa, a série tinha um enredo gostoso. Não tinha tanta putaria assim (e olha que pelo tema devia ser só isso) e abordava um outro tipo de "mundo" daquela época. Se não rolasse uma segunda temporada, beleza. Mas finalizasse essa PORRA! Ai, xinguei muito no twitter mesmo. Next.



BETTER WITH YOU: MAAAAN, porra. Essa eu ri praticamente em todos os episódios. Era muito divertida, elenco entrosado e claro as storylines maravilhosas. Não entendi o porque da ABC tirar Better sendo que The Middle é horrível. Sei lá vi uns episódios e não gostei. Sou muito mais Better. Também porque AMO demais a Debra Jo Rupp e espero que ela volte logo em alguma série de comédia. Porque ela é muito boa nisso.

Anyway, acho que passei alguma mensagem. São 06h52 da matina e eu aqui falando sobre séries com muitas coisas a fazer. Vamos ao dia então.

Ótima semana pra quem passa por aqui.