Páginas

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Poemas de Sólia

Multidão



Me sinto triste nessa multidão,
Olhando as pessoas sem sentimento e paixão,
Me vejo triste nessa multidão,
Sentindo as batidas do teu coração!

Quebrando barreiras de solidão,
Convivendo com drama, música e dramalhão,
Descobrindo feridas que ardem em canção,
No compasso da dor, vai meu coração!

Não sou nenhum poeta, artista ou plutão,
Só narro as dores de um bom coração,
Não faço só versos de nada e tesão,
Só conto a historia de uma sensação...

Estar sozinho, no meio da multidão .

( Mateus Bonez ;D )

6 comentários:

Hugo Bessa disse...

"No compasso da dor, vai meu coração"

adorei. realmente muito bom o poema inteiro, mas essa frase me chamou atenção.

abraço.

http://episodiosemserie.blogspot.com/

Gaia disse...

Pior do que estar só, é se sentir só em meio a muitos em sua volta.
Muito bom o poema, linguagem simples e direta!...Parabéns! :)
E obrigada pela visita!

Sammyra Santana disse...

adoray teu poema solitário!

e, preciso comentar, ainda que aqui, o post debaixo! adoooooorei tb!

sou igual a vc, e, aos que não gostam de mim... só não mando ir se fuder pq não desejo coisa boa aos meus inimigos!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Beeeeeeeeeeeeijo tio Mah lindo!

Cleber Henrique disse...

Parabéns pelos poemas, muito bons!

Cleber Henrique
http://www.globalizarsa.blogspot.com/

meps. disse...

essa história de amanhã começar a dieta me deprime, mas acabe sendo sempre assim! shaushuahs
bjss

Eduardo César disse...

você escreve bem. o poema é muito bom, cara. ainda me sinto assim às vezes.