Páginas

sábado, 26 de setembro de 2009

Luz

Procuro a solidão como o ar procura o chão,
Como a chuva só desmancha, pensamento sem razão! (Ana Cañas)




Para D. Laura


A luz acende e apaga, é como alguém sem paz.
A luz atiça e para, como alguém fulgás.
A luz me corta e solta, mas não me deixa cair.
A luz me leva as alturas, mas do inferno não me deixa sair.

Essa luz ilumina minha alma, me traz calma, me invade.
Essa luz fortalece meu fraco tendão, me dá o pão, consola o meu triste coração. (Mates Bonez)

7 comentários:

Felipe Emiliano de Andrade disse...

blz

Nova Quahog disse...

NAO PODE FALTAR LUZ!

Jel S. disse...

Subjetivo,hein? Gostei muito e me identifiquei!
Vou te seguir!
_____
http://planetabandonado.blogspot.com

Pitadinha de Amor disse...

otimo muito inspirador

Naya Rangel disse...

Gostei ... a luz realmente é essencial em todos os sentidos!

Abraços!

http://kultura-digital.blogspot.com

http://kultura-inutil.blogspot.com

Sammyra Santana disse...

fiquei curiosa agora...
quem é D. Laura?
rsrs
Bjo

Fabricio bezerra da guia disse...

Uau ,esse poema é seu?!parabens!!
Eu gosto desses poemas ageis